quinta-feira, 28 de abril de 2011

"Igreja" não segura casamento de ninguém!

"O hoje sempre irá influenciar o amanhã"
Na obra intitulada "A trilha menos percorrida", o psiquiatra M. Scott Peck escreve: "Viver é difícil".Para Scott a maioria das pessoas não enxerga esta verdade: Viver é difícil!Ele afirma ainda que o ser humano tem uma enorme tendência a lamúrias e murmurações.Uma família feliz e equilibrada não é construída da noite para o dia. Nem tão pouco uma família esfacelada e infeliz.Tudo o que nossa família é hoje, foi gerado e nutrido no tempo em que vivemos juntos, dia a dia, passo a passo, pedaço a pedaço.Viver é difícil!   Existe um preço a ser pago por cada membro da família.Não existem soluções relâmpago para melhorar nossa convivência e ambiência familiares.Uma família feliz é construída pedacinho por pedacinho.Quando minha esposa ficou cega há quase vinte anos, tudo que tínhamos se perdeu.Nossos sonhos se foram, nossa esperança e até a vontade de viver se foram também.Descobrimos que viver é difícil.Acontece, que o nosso comprometimento em vencer aquela situação e sair daquele poço foram maiores do que o desânimo e a tristeza que por hora invadiram nosso coração e adoeceram nossa alma.Analisamos a situação, pedimos ajuda ao Senhor Deus, juntamos os "caquinhos" que sobraram de nossa existência e seguimos em frente.Os meses seguintes à perda da visão da minha mulher foram os piores de nossa vida.          Passamos fome!          Fomos morar nos fundos de um ferro velho.          Sofremos o abandono por parte de parentes e amigos. Fraquejamos muitas vezes.Somente duas coisas foram capazes de nos manter de pé; nosso comprometimento em continuar nossa família e o temor a Deus, mas, temor e religião somente não resolveriam nossa crise existencial.         É preciso querer!Primeiro é preciso estar disposto a pagar o preço de construir uma família feliz e equilibrada dia a dia. Depois temos que temer a Deus e fazer o que é certo."Confia no Senhor de todo o teu coração, e não te estribes no teu próprio entendimento"Provérbios 3
Pense nisso - seja feliz!
Rogério Bitencourt
Twitter@manancialdepaz

quarta-feira, 27 de abril de 2011

É TUA MÃE!

"Até a criança se dá a conhecer pelas suas ações, se o que faz é puro e reto". Pv 20:11
Quantos de nós já não ouvimos papais corujas ou vovós dizendo a seguinte frase: "deixa pra lá! É só uma criança", ou "não liga, é só um bebê".
Dias atrás fiquei envergonhado com a atitude de uma menininha muito festejada na televisão brasileira pela sua desenvoltura a frente das câmeras. A garotinha é fera na TV!
Acontece que às vezes a simpática criancinha vai além dos limites e é extremamente mal educada e rebelde, aliás, como tende todas as crianças da sua idade aos excessos.
Deus nos orienta a não tolerar esse tipo de comportamento e ainda nos manda corrigir os nossos filhos enquanto há tempo.
Não quero ser saudosista, mas em minha infância eu não me lembro de passar dos limites sem receber a correção imediatamente.
Meu pai, mesmo sendo um alcoólatra, somente dava uma olhada pra mim e para os meus irmãos e o recado estava dado.
Hoje, infelizmente vejo crianças que entram no meio da conversa dos seus pais, expõem envergonham, falam palavrões, se rebelam, adolescentes que chegam a casa à hora que querem, dormem com namorado, e já fazem a própria vontade desde que nascem.
O que será desta geração sem freios?
A quem eles irão respeitar?
Qual o futuro da igreja se ela continuar a criar seus filhos sem disciplina e respeito pelos pais e por Deus?
Será que nos esquecemos da Palavra de Deus?
Eduque seus filhos. Tome de volta as rédeas da vida deles. Ponha limites antes que seja tarde.
Seu filho é exatamente o que você permite que ele seja.
Pense nisso, e seja feliz.
Lembre-se: Família. Você precisa cuidar da sua!
Rogério Bitencourt
Pastor, conferencista, escritor, consultor em liderança e atendimento e apresentador de rádio e televisão.

terça-feira, 26 de abril de 2011

“Até as princesas soltam pum”

“Até as princesas soltam pum”
O título deste artigo é também o título do livro de Ilan Branmen, contador de histórias, doutorando em educação e apaixonado pela literatura infanto-juvenil, escritor, palestrante e alguém que redescobriu a arte de ser interessante contando histórias.

A primeira vista, o nome dado ao livro que está no topo da lista dos mais vendidos há quarenta dias não parece ser apropriado, mas é aí que a magia tem o seu começo.

Ilan percebeu que criança é um ser diferente, ilimitado e cheio de emoções e imaginação, por isso bem diferentes dos “adultos” e “maduros”.

Precisamos repensar a forma de lidarmos com nossas crianças dentro das igrejas, na mensagem do culto, nas classes de EBD e no trato com nossos pimpolhos.

Existem lindas e honrosas exceções, mas convenhamos, geralmente temos dado shows de chatice e tédio para o público dos pequeninos. Querem saber? Precisamos entrar no mundo deles e por esse caminho trazê-los para o que queremos ensiná-los.

Tenho visto crianças de terno ou vestidas com túnicas que francamente mais as expõem ao ridículo que as motivam a servir ao Senhor Jesus.

Ilan Branmen faz sucesso pelo fato de considerar o mundo das crianças e ter capacidade de entrar nele.

Eu quero isso pra mim também. Quero poder interagir com as crianças nos cultos em que ministro e quando me relaciono com elas no dia-a-dia.

Não quero ser um alienígena chato e sem graça que precisa ser suportado pelos meninos e meninas da igreja. Quero despertar neles boas gargalhadas e ter a certeza de que eles ficam a vontade e que podem até se precisar “soltar pum!”.

Quero que elas sejam gente e que isso fique muito claro pra elas.

Quero minhas crianças sendo crianças em toda a sua plenitude e se elas conseguirem isso eu já estarei satisfeito.

Quero que elas venham a Jesus e façam isso sendo o que Ele disse que elas deveriam ser: CRIANÇAS E PEQUENINOS.

Você já sabe o que fazer!

Pense nisso e seja feliz

segunda-feira, 25 de abril de 2011

Meu maior erro no pastorado...


"O que faz a SERASA andar? Gente! Se a pessoa cresce, se desenvolve, gera um benefício em volta". Elcio de Lucca
Durante um bom tempo do meu ministério procurei fazer com que as pessoas se comprometessem com as coisas.
Pensava eu que meu foco deveria ser o prédio, o som, as cadeiras e em tudo o que chamamos de igreja.
Minha inexperiência provocava em mim um brutal equívoco em minhas prioridades.
Trabalhei muito construindo um templo e cheguei a passar fome morando nos fundos da obra sem ninguém saber disso. Expus muito minha família ao desnecessário.
Eu colocava o foco das ovelhas no prédio. Toda minha pregação, minhas conversas, tudo, tudo mesmo girava em torno das coisas e nunca das pessoas.
Quando vi que nosso crescimento estava emperrado naquela localidade decidi mudar de bairro. Comecei a procurar outro prédio.
O que aconteceu? Perdi todas as ovelhas, pois embora minha intenção fosse ampliar nossa capacidade de alcançar mais almas para Jesus, não consegui convencer as minhas ovelhas a irem comigo.
Eu fui o culpado, pois não coloquei a prioridade nas ovelhas, mas no prédio.
Meu erro foi não focar em gente.
Certa vez Richard Cecil disse que "amar a pregação é uma coisa - amar as pessoas a quem pregamos é outra".
É isso! Amar as pessoas. Dedicar-se a elas. Cuidar delas e por o foco nelas.
Vejo muitos líderes ministrarem oferta colocando o foco nas coisas e se esquecendo de mostrar os benefícios daqueles que são fiéis nos dízimos e ofertas. Meu foco quando oferto não é "ajudar" a Obra de Deus, mas sim obedecer a Deus e semear para minha própria vida.
O prédio é importante, mas as pessoas são bem mais.
Não conheço pregação melhor do que a que fazemos visitando as ovelhas, indo ao hospital acompanhá-las, consolando-as num velório de parentes, alegrando-nos numa festa delas.
As pessoas estão mudando e observo que a febre das mega-igrejas está passando.
As ovelhas estão procurando pastores que se importam com elas.
É como diz o presidente da Serasa: "é gente que faz a Serasa andar".
Quando temos gente feliz e satisfeita ao nosso lado certamente isso irá se multiplicar e se espalhar pela vizinhança, pois as pessoas que convivem com nossas ovelhas vão querer saber onde está o pastor que se importa com elas e a igreja onde elas estão encontrando a felicidade.
Ponha seu foco nas pessoas.
Você já sabe o que fazer.
Pense nisso e seja feliz.

sábado, 23 de abril de 2011

Não ponha ovos vivos debaixo de galinhas mortas!


"Não coloque ovos vivos debaixo de galinhas mortas" H Hendricks

Nos anos 70 comecei a ouvir a rádio relógio. Era uma rádio fantástica!
Ela informava a hora certa a cada minuto e tinha um quadro muito interessante chamado: Você sabia?
O slogan deles era assim: "Cada minuto que passa é um milagre que não se repete".
Hoje, trinta anos depois, posso entender melhor o que trazia em seu conteúdo aquela mensagem.
Cheguei aos 46 anos e entendo perfeitamente o que eles queriam dizer, pois o tempo apresenta seus inimigos, e o pior deles é a zona de conforto.
Acomodar-se é estar satisfeito com os resultados passados e perder a capacidade de sonhar.
Certa vez, li que o maior inimigo do sucesso futuro é o sucesso passado.
O dia de ontem acabou a meia noite e temos uma vida inteira pela frente.
Precisamos parar de olhar no espelho retrovisor e por nossos olhos no futuro. Prender-se ao passado é colocar ovos vivos debaixo de galinha morta!
Celebre o sucesso passado, mas não deixe que ele o embriague e atrapalhe você de olhar nitidamente para o futuro.
Zona de conforto é perigosa e traiçoeira.
Você pode muito mais.
Pense nisso - seja feliz.
Lembre-se: Família. Você precisa cuidar da sua.
Rogério Bitencourt


quinta-feira, 21 de abril de 2011

Melhor Amigo dos Fracos

Quanta gente você conhece que só vive reclamando e com necessidades das coisas mais elementares?
Quantas pessoas vivem abaixo da linha da pobreza, não pelo fato de lhes faltar oportunidades, ou por não terem acesso às facilidades a que a classe média tem.
Tem gente que é pobre e miserável por pura opção!
Ser rico dá trabalho.
Vencer pressupõe ter que lutar, e lutar traz fadiga.
Conquistar algo implica em batalhar muitas vezes com forças além das nossas.
Aguentar a pressão dos desafios, empreender e lutar com afinco para conseguir algo maior do que temos, são atitudes estranhas aos fracos.
Pergunte a alguém que não conquistou nada na vida o motivo de sua derrota? Você ouvirá lamúrias e reclamações que sempre apontam para o lado de fora.
A nossa vitória e sucesso começam do lado de dentro de nós. Nunca do lado de fora!
É preciso buscar resistência, perseverança e força de vontade dentro de nós, e muitas vezes, para isso, o trabalho começa na mente.
Mude a mente de um homem e você mudará a vida dele!
Mude a sua mente e sua vida mudará!
Do contrário, dê as mãos à preguiça e caminhe para o fracasso com ela.
Sugiro que não faça isso para o seu próprio benefício.
Faça um recall de seus pensamentos e substitua todos os que trabalham contra seus sonhos e projetos.
É certo que fazendo assim você vencerá.
Pense nisso - seja feliz.

Pastores em Perigo!


Lc 15:4 Qual, dentre vós, é o homem que, possuindo cem ovelhas e perdendo uma delas, não deixa no deserto as noventa e nove e vai em busca da que se perdeu, até encontrá-la?
5 Achando-a, põe-na sobre os ombros, cheio de júbilo.
6 E, indo para casa, reúne os amigos e vizinhos, dizendo-lhes: Alegrai-vos comigo, porque já achei a minha ovelha perdida.

Qual o pastor que não sonha com o crescimento do seu rebanho?
Quem no ministério pastoral não ora e deseja ver Deus salvando almas e confiando-as ao seu pastoreio?
Quantos líderes não têm dado a vida e o 'sangue' para ver a igreja prosperar e crescer em número de membros?
Como é bom ver Deus trazendo crescimento à igreja!
Eu também sonho com todas essas coisas. Eu quero isso pra mim e pro meu ministério.
Acontece, que às vezes o preço que muitos dos meus colegas pagam é pesado demais, é alto demais, não valendo a pena ser pago por nenhum de nós.
A passagem acima registra em suas entrelinhas fatos que preocupam e acendem a luz de alerta, para que agente não caia nessa cilada armada pelo afã de vermos crescer a igreja tendo como custo o bem mais precioso que temos.
Refiro-me a possibilidade de passarmos por apuros na relação com nossos familiares e perdermos o amor e afeto daqueles que pagam talvez o maior preço do ministério. Penso nas ovelhas esposa e filhos.
Repare que o pastor descrito em Lucas perdeu uma ovelha! Ao descobrir que faltava uma, ele deixa as noventa e nove no deserto (isso mesmo, no DESERTO) e sai à busca da sua ovelha mais querida e preciosa.
Parece que não nos damos conta da importância dos nossos familiares até perdê-los.
Quantos não são os que já não conseguem ter a mesma relação de amor, cumplicidade e amizade com a esposa e filhos por causa da carga e do peso da 'obra de Deus'?
Quantos não perderam a centésima ovelha que já não está mais no meio do rebanho?
Muitos chegam a passar a noite em seus gabinetes estudando, dormindo ou fazendo retiros, e com isso deixando seus familiares expostos em casa enquanto ele mesmo se expõe e coloca também sua vida, ministério e reputação nas mãos do inimigo.
Nenhuma igreja vale mais do que nossa família!
Nenhum ministério ou chamado deve competir com o casamento.
Quantos já naufragaram suas famílias e casamentos por causa do esquecimento daquilo que é mais importante?
Sejamos sinceros: Vale à pena perder o casamento e o amor dos filhos por causa de alguma igreja?
Não vale, e creio que Deus não deseja isso pra nenhum dos seus escolhidos.
O pastor de Lucas 15, ao achar a ovelha perdida a pega nos braços, cura suas feridas, a põe nos ombros e a leva pra casa. Isso mesmo! Pra casa.
Aquela ovelha era da sua família.
Deus não quer nenhum pastor workaholic deixando sua família abandonada e alimentando seu vício na igreja e no trato com as noventa e nove.
Que Deus nos livre disso querido pastor.
Estamos em perigo, mas podemos sair bem disso cuidando da centésima ovelha.
Grande beijo.
Paz e bênção.
Rogério Bitencourt
WWW.manancialdepaz.org