terça-feira, 28 de junho de 2011

Casais evangélicos traem mais que os do mundo!




Diante das mais recentes pesquisas científicas realizadas no meio evangélico, surge o alerta para começarmos a tratar os casamentos de uma forma mais cuidadosa e responsável.
A infidelidade matrimonial entre evangélicos é maior que as dos não evangélicos!
Segundo o BEPEC – Bureau de Pesquisa e Estatística Cristã - em
parceria tecnológica  com a  AKNA  (www.akna.com.br,) fornecedora
de uma das melhores plataformas de pesquisa online do mundo, 11,26% das mulheres evangélicas pesquisadas já traíram seus cônjuges. Na faixa dos homens, 24,68% traíram suas esposas.
O Ministério da Saúde apresentou em 2009 a maior
pesquisa já realizada sobre comportamento sexual do
brasileiro. 8  mil entrevistas com homens e
mulheres entre 15 e 64 anos foram feitas e a pesquisa apurou que
21% dos homens em relações estáveis vivendo com
conjugue mantém relações sexuais esporádicas ou
contínuas com outros parceiros. 11% das mulheres, na
mesma situação!
Precisamos acordar para essa realidade infeliz e dar um "choque de ordem" nos ministérios com famílias para que as ações e os recursos sejam mais eficientes e direcionados para as questões que realmente importam.
Não dá para aceitarmos isso em nosso meio.
Estamos sendo reprovados naquilo que tanto condenamos: O adultério.
Precisamos transformar casados em namorados para sempre.
Nossos ministérios com família precisam rasgar o véu da sensibilidade exacerbada e falar o que tem que ser falado, sem meias palavras ou pudor excessivo.
O assunto sexo no casamento cristão não pode mais ser exposto com suas maquiagens ridículas e mentirosas.
É preciso discutir mais abertamente o que rola e o que não rola na cama dos crentes.
É preciso também falar dos anseios e frustrações dos casados do Reino.
Educação sexual desprovida de dogmas e palpites equivocados é raridade no meio evangélico.
Minha vida sexual no meu casamento com Sandra Bitencourt é acima da média em comparação a maioria dos casais que temos notícias.!
Cuidamos um do outro e nos esforçamos para que a relação seja a dois e seja boa para ambos.
Conversamos abertamente sobre nossa cama e discutimos tudo.
Se fôssemos permitir que alguns conselhos infelizes que nos deram no passado entrasse debaixo dos nossos lençóis, já teríamos entrado nas estatísticas do BEPEC.
Estou na frente de batalha para reverter a triste situação de parte dos casais evangélicos.
Deus quer mudanças e eu estou na brecha!
Pense nisso.
Rogério Bitencourt
Pastor do lado de cá.

terça-feira, 21 de junho de 2011

No casamento a casa cai!

"O amor é o que o amor faz"
Nestes dois últimos meses, Sandra e eu pudemos pregar em muitos fins de semana e ficamos em hotéis diferentes ministrando em muitas igrejas.
Falamos sobre muitos assuntos, mas o que mais enfatizamos foi a coerência entre falar e fazer.
Quantas mentiras não foram contadas durante o namoro e noivado?
Quantas não foram as promessas feitas para que pudesse ser conquistado o coração do outro?
Quantos compromissos assumidos e depois quase não se lembra deles!
A prática deve acompanhar o discurso!
Muitos de nós falamos coisas impensadas.
Falamos por interesse.
Falamos por vergonha, por constrangimento talvez...
Acontece que não pode haver incoerência entre o que dizemos e o que fazemos.
Quero ser uma bênção na vida de minha família e quero pagar o preço que for necessário para que isso aconteça.
John Maxwell diz que quando nos comprometemos, somos postos a prova!
Deus disse que nos amava e deu Seu Filho para morrer e nos salvar.  Isso é amor!
Mude seus hábitos em relação a sua família.  Seja coerente.
Mude também na sua carreira, na sua religião, no seu dia a dia.
A vida parece melhor, e é, quando fazemos o que devemos fazer em nome do amor.
Não desista da sua família, pois ela é seu maior patrimônio.
Família. Você precisa cuidar da sua.
Rogério Bitencourt
manancialdepaz@hotmail.com

sábado, 18 de junho de 2011

Não deixarei a Igreja ficar entre ela e eu!

O que mantém meu casamento de pé?
Nesta semana quero falar com meus colegas pastores sobre casamento.
Não é segredo pra ninguém, que muitos casamentos de ministros do evangelho estão desmoronando, e a passos largos, a ponto de parecer normal e admissível ver um pastor separando-se de sua esposa.
Fico muito frustrado, embora não seja mais menino, sim, fico frustrado e triste por ver que a maioria dos divórcios poderia e deveria ser evitado se houvesse ajuda externa e mentoriamento.
O poder e a força do ministério pastoral parecem seduzir-nos e embriagar-nos a ponto de nos esquecermos de Deus, o Senhor do nosso chamado.
Pregamos para muitos, ministramos a vida de muitos e quase nunca recebemos de volta da parte de gente maior e mais preparada do que nós o combustível para permanecermos de pé.
Meu casamento completa este ano bodas de prata.
Não sou perfeito nem tão pouco Léa minha esposa o é!
Somente nós dois mesmo para suportarmos um ao outro.
Entretanto, o que mantém nosso casamento de pé é em primeiro lugar o amor, depois a amizade, a cumplicidade, o respeito, o desejo sexual mútuo, as piadas que fazemos um do outro, a paciência que temos para aturarmos nossas chatices, nossas diferenças e nossa disposição de não deixarmos que a igreja ou qualquer coisa em nome de Deus fiquem entre nós dois!
Que teu casamento seja uma bênção em nome de Jesus.
Pense nisso - seja feliz!

segunda-feira, 13 de junho de 2011

Os fracos jamais terão vez!

“A dor faz parte do uniforme do atleta de ponta” Galvão Bueno
Hoje (13-6-2010) começo uma nova coluna de crônicas diárias que publicarei nas redes sociais das quais faço parte.
Acredito que a vida é mais intensa quando conseguimos extrair as delicadezas e sutilezas das entrelinhas, ao invés de ficarmos olhando para o todo.
O segredo está na árvore, não na floresta!
Sou um caçador de sabedoria.
Quando vejo alguém soltando uma pérola, trato imediatamente de colocá-la em minha vida.
Por falar em pérola, Galvão Bueno soltou essa: “A dor faz parte do uniforme do atleta de ponta”.
Ninguém é grande por acaso.
Ninguém se destaca no que faz simplesmente por ter sorte ou um amigo que o puxa para cima!
Pode perceber: Todos os grandes são dotados de algo em comum – a perseverança, vontade acima da média e determinação de que somente o lugar mais alto do pódio é o que se pode conquistar.
Jesus era assim em seu ministério terreno.
A dor e o sofrimento fizeram parte do seu uniforme, mas Ele venceu e conquistou a maior posição, a mais alta.
Se você faz parte do time que só sabe reclamar e dar desculpas, que sempre procura o mais fácil e que, quando vê uma dificuldade, desiste e abre mão do seu futuro, sinto muito em dizer, mas a derrota e a mediocridade serão constantes em sua vida.
Abra bem os olhos e veja que nada acontece por acaso ou cai do céu.
Batalhe. Lute. Pense muito e procure ter uma idéia original.
Enfrente as barreiras e vença-as com grandeza e dignidade.
Você já sabe o que fazer.
Pense nisso... Seja feliz...
Rogério Bitencourt
Twitter@manancialdepaz

terça-feira, 7 de junho de 2011

Você não está sendo consumido pela vaidade?



Saia do espelho e vá para a janela!



Você já parou para pensar no fato de que quando conhecemos a verdade ela tem o poder de libertar-nos?
Acontece que jamais poderemos exercer uma liderança eficaz, se não sabemos nos comunicar de forma simples e clara com nossos colaboradores.
Muitos não estão interessados, ou não querem fazer as perguntas necessárias aos seus liderados, por não estarem dispostos a pagarem o preço de ter que ouvir e "descobrirem" o que o coração e a razão gritam dentro deles mesmo. A verdade dos nossos liderados pode ser libertadora para nossa liderança, acredite.
Uma agente penal americana certa vez afirmou que "se continuarmos pintando sobre as pichações das Ganges, jamais teremos tempo de identificar o que estão querendo dizer". Isso não lhe parece familiar?
Alguns líderes estão sempre jogando tinta para cobrir os sinais que membros de sua equipe deixam e partem para a próxima "tarefa" como se estivesse tudo bem. Com isso, deixam de aproveitar o momento de expressão abertos pelos colaboradores.
Aí, vem o concorrente e leva seus melhores membros da equipe e o líder não sabe por quê! A verdade dos nossos liderados nos liberta da ignorância, da cegueira e da arrogância que nos impedem de sermos melhores e obtermos excelência no mercado.
Realmente, a verdade liberta! John Maxwell diz duas grandes verdades: Primeiro ele afirma que "as maiores experiências da vida envolvem outras pessoas"! Depois: "você aproveitará mais a vida se gostar das pessoas". No mundo corporativo, o preparo acadêmico, técnico, ou seja lá o que for, são tão importantes quanto os seus relacionamentos e a forma de como você lida com as pessoas, pois, não dá para liderar sozinho.
O maior recurso que você pode ter para desenvolver uma boa liderança são pessoas a quem você serve. Elas são mais importantes que as coisas, por isso valorize-as.
Falta de contato entre gerentes, seus liderados e seu público é a maior causa da baixa produtividade. Foque nas pessoas e não nas coisas ou em si mesmo. O grande evangelista Charles Spurgeon acreditava que: "precisamos gravar nossos nomes no coração das pessoas e não em mármore". Coloque boa vontade em seus relacionamentos, ofereça mais do que as pessoas esperam e pense mais nos outros. Converse com as pessoas e faça perguntas. Faça muitas perguntas! Descubra tudo o que puder sobre quem está formando a sua equipe, sobre seu público alvo, sobre a concorrência e verá como a verdade pode ser libertadora, podendo desamarrar o seu crescimento e também de sua equipe.
A vida é muito mais interessante e feliz, a liderança é muito mais eficiente, se simplesmente saímos do espelho e voltamos nossos olhos para a janela. Deus te abençoe.
Lembre-se.Família. Você precisa cuidar da sua!
Rogério Bitencourt é escritor, pastor, conferencista e consultor em liderança e atendimento ao cliente.
manancialdepaz@hotmail.com
http://www.manancialdepaz.org/