terça-feira, 31 de dezembro de 2013

Levei um pé no traseiro!



Estou quase dando um chute no traseiro de 2015!
Na verdade, é ele quem vai dar no meu. Eu vou seguir em frente, deixa-lo-ei para trás. É ele que vai ficar.
Ele me trouxe muita dor, mas também foi generoso comigo me consolidando minha morada em Terra Alta com minha esposa Sandra Bitencourt.
Agora, depois de tudo que passei com 2015, sigo para uma nova história. 2016 está as portas e eu quero tê-lo por completo. Vai ser a melhor fase da minha vida!
Com 2015 tive muitos momentos de amor e ódio. Nossa relação foi atribulada e quase doentia. Ele sabe que até pensei em desistir, mas como fiel amigo, não contou para ninguém. Ele me conhece mais do que eu mesmo!
Estamos perto de nos separar e ele sabe que seu fim está perto. Porém, agradeço por tudo.
Vai 2015. Vai com minhas dores e lembranças ruins. Leva tudo e me permita limpar a minha mente do que você me trouxe e não foi bom.
Minha relação com você está no fim.
Deus me deu a capacidade de me apaixonar pelo ano novo e estou esperando por ele.
Será uma relação de amor, conquistas e mais vitórias do que derrotas. 2015 me preparou para isso!
"Quero trazer a memória o que me pode dar esperança". Lm 3:21

sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

Texto só para inteligentes! Não insista!


A vida é hoje!
Apesar de Einstein ter provado que o tempo é elástico, podemos gerir nossa vida e usá-lo a nosso favor.
Não temos como mudar, voltar ou adiantar o tempo que temos ou o que vivemos. O passado passou e o futuro é uma subjetividade!
Falando em subjetividade, acredito que ela seja uma arma poderosa, assim como também é uma armadilha cruel e mortífera.
Vamos lá... Em relação ao tempo, quando eu vivo muito com a mente presa ao passado, as lembranças más, aos traumas, as marcas ruins que trazem em si as dores que embora silenciadas, ainda continuam lá, acabo por descompassar a vida e deixar de viver o mais importante. O HOJE.
Por outro lado, a subjetividade quando usada para o futuro, se vem pela criatividade construtiva é uma bênção e motivo de toda inovação e invenção que acabou por mudar a vida de muitos.
Invenções como a lâmpada, telefone, roda, avião e tudo o que se vê nos dias de hoje, foram fruto da subjetividade criativa, que serviu como start para promover uma grande mudança no mundo.
A nossa vida sempre tende a melhorar quando colocamos nossa mente pra trabalhar nesse sentido. Só temos duas maneiras de usar o cérebro: Lembrança ou imaginação. Tudo começa aqui! Se eu viajo ao passado de minhas lembranças e entro na área da sujeira, e pior, faço um pacote de lixo e trago para o presente, crio um ambiente terrivelmente insalubre para minha existência e para a vida daqueles que estão a minha volta.
Não é muito inteligente trazer um passado ruim que não há como mudar. Isso é insano.
Agora, o passado não guarda só lixo! Ele também guarda jóias, vitórias, experiências boas, surpresas fantásticas e delícias que podem ajudar o dia de hoje.
Meu passado é meu maior patrimônio e não devo abrir mão dele. O que preciso fazer é arrumar os "arquivos" em ordem de importância, colocando o lixo lá pro fundo, isso por não ser muito fácil se livrar dele e poucos são os que conseguem de verdade esse feito! Amnésia é privilégio de poucos no campo das lembranças más!
Ponhamos nossa imaginação a nosso favor. Que ela seja como as velas do barco de nossa vida. Que aproveite os ventos das possibilidades e impulsione nossa vida rumo as altas marés e aos portos da alegria e do inesperado. Que todo inesperado seja bem aproveitado e vivido da melhor maneira possível. Que venha o inesperado! Se não for tão bom, que seja superado e deixado para trás de verdade.
Mas, lembre-se sempre de uma coisa: Assim como os ventos são a força motriz das velas a impulsionar o barco, se colocado a frente delas não trará nenhum benefício aos tripulantes, pois ouvirão seu barulho, verão seus efeitos, mas por uma questão pura e simplesmente física deixará o barco exatamente como está: Parado. Porém, com mais um tripulante indesejado. A subjetividade usada de forma errada será esse tripulante chamado Frustração. Use toda e qualquer frustração como marco e quando a encontrar novamente saberá que por ali não foi bom passar.
Viva o hoje. Viva agora. Ponha objetivos na sua vida e seja feliz.
Pense nisso e lembre-se: Família. Você precisa cuidar da sua!
Rogério Bitencourt
Pastor do lado de cá.


(21) 969563804 ZAP

quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

Abaixem as mãos nos templos! Tem gente precisando de ti com mãos levantadas nas ruas!


Abaixem as mãos nos templos! Tem gente precisando de ti com mãos levantadas nas ruas!

Dificuldade de amar.
Se tem um mês em que é difícil se amar, esse mês é dezembro!
Dezembro é o mês em que se evidencia o nascimento de Jesus. O Filho de Deus é festejado em dezembro. Ele é lembrado, adorado, citado e cantado em milhares de igrejas pelo mundo afora. Lindo, não?
Embora seja assim, o amor tem se esfriado ano após ano.
O Deus de amor, que é Amor, que vive amor e que morreu por amor não tem mais influenciado o mundo com o amor que foi e é!
Será que Deus tem fracassado?
Deus se esqueceu do mundo?
Deus perdeu a capacidade de amar?
Não, não e não!
Não foi Deus quem mudou! Fomos nós.
Quando Deus avisou que o amor se esfriaria em nosso meio, Ele estava falando a verdade.
É lamentável ver que muitas instituições religiosas (e são só isso mesmo: religiosas) gastam dinheiro, tempo e material humano para apresentarem suas peças teatrais, cantatas e eventos, usam o dinheiro do Deus de amor para decorarem seus templos e banqueteiam-se numa glutonaria frenética junto com seus fiéis consumistas e insensíveis atores que são!
Atores sim!
Temas de cantatas como "Deus de amor, o maior milagre, a vida chegou, a esperança está viva" e tanto outros temas lindos de se falar são mera representação na vida desses senhores e senhoras filhos do Deus de amor.
Por causa de atitudes como essas é que o êxodo de fiéis que se afastaram das instituições religiosas cresceu 780% (IBGE) no decênio 2001/2010!
Eu, por decisão própria e vontade própria irei passar a "hora mágica" com moradores de rua este ano e todos os anos que ainda me restam.
Quero ser a presença de Jesus na vida daqueles que nem vida mais possuem. São escravos de si mesmos e vítimas do desamor coletivo.
Eu quero uma "igreja" que se preocupe menos com as paredes, menos com os ensaios, menos com as honras, menos com as estratégias, menos com suas atividades clubescas e se dedique ao caído no caminho.
Aonde estão os bons samaritanos? Para onde foram?
Como diz o poema gaúcho: "O desamor se derramou no meu olhar, gota a gota afogou o que era belo, e eu finei na torre alta de um castelo, que sem base foi criado pra afundar"!
Falo com a experiência de quem passou fome, solidão e indiferença no meio desse povo que serve ao Deus de amor! NÃO PASSO MAIS!
Por essas e outras que eu me instituí PASTOR DO LADO DE CÁ!
Quero ser pastor dos que querem o Deus de amor e querem também servir aos que são fruto do amor de Deus. Sem distinção.
Com carinho e sem ressentimentos, pois os dias são maus e o tempo é escasso, te chamo para a sobriedade e despertamento.
Acenda a luz do amor nesse Natal e volte seus olhos para os que Ele ama e quer bem também.
A igreja está do lado de fora dos templos também. E principalmente!
Com respeito e amor,
Rogério Bitencourt

Pastor do Lado de Cá.