Pular para o conteúdo principal

O escândalo de ser Félix. De ser Feliz!


Esta noite todos ficamos perplexos pelo beijo gay na Tv.
Tudo o que é fora do padrão nos causa desconforto mesmo. Afinal de contas, estamos vivos, não é verdade?
Acontece, que a ficção nos deu uma grande lição com a novela Amor à Vida.
A arte tem essa função mesmo de estar sempre imitando a vida.
Foi uma verdadeira janela que a dramaturgia brasileira abriu, ou melhor, escancarou diante dos nossos olhos.
Está tudo aí! Tudo em redor de nós. Muitos não querem ver, mas está aí!
A mocinha má que trama vingança... A esposa traída que arma uma sabotagem que acaba tirando a vida de uma mulher e quase mata outra e uma criança que se transforma anos depois na mocinha má.
A "normal" heterossexual que rouba o marido do gay e tenta ter um filho com ele.
O boyzinho que engana a coroa para que ela pague sua faculdade.
A ex dançarina que sonha com uma vida melhor e consegue no fim da vida ficando com o marido da intelectual.
A filha da ex dançarina que quer ser famosa, mas por ser sem noção de carteirinha perde todas as oportunidade que a vida lhe dá. A vida foi generosa com ela e lhe deu um "palhaço" para lhe amar a despeito de tudo o que ela aprontou.
Um advogado jovem e de excelente caráter que investe todo seu amor na vida de uma "diferente" e muda a vida dela e de sua família.
Dois casais que trocam de parceiros e terminam sendo amigos e arriscam chamar isso de família.
Uma garota de programa que teve algumas chances de ser feliz, mas sua vocação é pra ser isso mesmo!
Um muçulmano que se apaixona por uma judia e consegue vencer suas diferenças em nome do amor.
Enfim, rolou de tudo na novela Amor à Vida.
Porém, quero comentar sobre o personagem do excelente ator Mateus Solano, o Félix.
Como eu pude aprender com a ficção! Como sou hipócrita, julgador, intolerante, preconceituoso e por vezes boçal ao julgar pelas aparências as pessoas que parecem ser diferentes de mim.
Felix fez um pouco de tudo para ser uma péssima pessoa, e conseguiu.
Ele jogou a gurizinha no lixo, causou o acidente do Atílio, roubou o hospital, manipulou e chantageou geral para conseguir a presidência do San Magno, destruiu vidas e atrapalhou muita gente!
Contudo, que virada na vida do personagem esse Felix pode viver. Foi fantástica!
Félix conseguiu superar-se e vencer a si mesmo a despeito de tudo o que sofrera por si e pelos outros que lhe causaram traumas e dores.
Félix é um ser em extinção nos nossos dias. Poucos eu conheço que conseguiram se reinventar e vencer as armadilhas da vida com charme, bom humor e elegância. (As vezes ele descia do salto). Mas, ninguém é de ferro!
Félix soube perdoar seu pai, ajudá-lo na doença e amá-lo até o fim.
Sei que muitos, a maioria absoluta mesmo vai se deter somente no beijo gay que ele deu no "carneirinho".
Eu, porém, pulo essa parte e fico com o que aprendi sobre o ser humano e sua capacidade de voltar a ser gente.
A cena que findou a novela, com as mãos de Félix e César dadas frente ao mar e as declarações de amor feitas por ambos, pai e filho foram sem dúvida o ponto alto da trama.
Quero que a vida tenha a coragem de imitar também a arte e produza em nosso meio mais pessoas que aprendam a perdoar-se para poder perdoar os outros! Que ela imite a arte para que o ser humano seja mais importante que minhas convicções pessoais.
Quero que minha vida seja um amar de verdade! Amar mesmo. Amar sem reservas e de todo coração.
Quero levar a vida tendo a capacidade de rir mais do que chorar. Que eu faça piadas em que eu mesmo seja a piada. Só consegue ser piada quem sabe quem é e consegue ser feliz, mesmo em meio a tristeza.

Não digo que serei um Félix, pois somos bem diferentes, mas quero ter a capacidade do personagem Felix de ser pelo menos Feliz! 

Postagens mais visitadas deste blog

Casais evangélicos traem mais que os do mundo!

Diante das mais recentes pesquisas científicas realizadas no meio evangélico, surge o alerta para começarmos a tratar os casamentos de uma forma mais cuidadosa e responsável. A infidelidade matrimonial entre evangélicos é maior que as dos não evangélicos! Segundo o BEPEC – Bureau de Pesquisa e Estatística Cristã - em parceria tecnológicacom aAKNA(www.akna.com.br,) fornecedora de uma das melhores plataformas de pesquisa online do mundo, 11,26% das mulheres evangélicas pesquisadas já traíram seus cônjuges. Na faixa dos homens, 24,68% traíram suas esposas. O Ministério da Saúde apresentou em 2009 a maior pesquisa já realizada sobre comportamento sexual do brasileiro. 8mil entrevistas com homens e mulheres entre 15 e 64 anos foram feitas e a pesquisa apurou que 21% dos homens em relações estáveis vivendo com conjugue mantém relações sexuais esporádicas ou contínuas com outros parceiros. 11% das mulheres, na mesma situação! Precisamos acordar para essa realidade infeliz e dar um &…

COMPRE AQUI O LIVRO O Próximo Passo.

O que você faria se sua esposa ao oitavo mês de gravidez perdesse a visão, ficasse entre a vida e a morte, e como consequência dessa tragédia vocês perdessem tudo e fossem morar nos fundos de um depósito de lixo sem ter ninguém pra lhe estender a mão?
E se depois de passarem por tudo isso uma nova enfermidade aparecesse e levasse aquela que já estava cega havia vinte e oito anos?
Rogério Bitencourt passou por tudo isso e conseguiu vencer e reconstruir sua vida. Veja como a arte da resiliência pode fazer a grande diferença em sua vida. Uma grande história que vai emocionar a cada leitor e trazer grandes ensinamentos  sobre a vida, sobre a morte, sobre Deus e sobre as frustrações vividas por todos os mortais.
Aproveite ao máximo essa obra e prepare-se para se emocionar e rever todos os seus conceitos sobre a vida. A sua vida...

Faça com o Coração e o Mundo se Renderá!