O escândalo de ser Félix. De ser Feliz!


Esta noite todos ficamos perplexos pelo beijo gay na Tv.
Tudo o que é fora do padrão nos causa desconforto mesmo. Afinal de contas, estamos vivos, não é verdade?
Acontece, que a ficção nos deu uma grande lição com a novela Amor à Vida.
A arte tem essa função mesmo de estar sempre imitando a vida.
Foi uma verdadeira janela que a dramaturgia brasileira abriu, ou melhor, escancarou diante dos nossos olhos.
Está tudo aí! Tudo em redor de nós. Muitos não querem ver, mas está aí!
A mocinha má que trama vingança... A esposa traída que arma uma sabotagem que acaba tirando a vida de uma mulher e quase mata outra e uma criança que se transforma anos depois na mocinha má.
A "normal" heterossexual que rouba o marido do gay e tenta ter um filho com ele.
O boyzinho que engana a coroa para que ela pague sua faculdade.
A ex dançarina que sonha com uma vida melhor e consegue no fim da vida ficando com o marido da intelectual.
A filha da ex dançarina que quer ser famosa, mas por ser sem noção de carteirinha perde todas as oportunidade que a vida lhe dá. A vida foi generosa com ela e lhe deu um "palhaço" para lhe amar a despeito de tudo o que ela aprontou.
Um advogado jovem e de excelente caráter que investe todo seu amor na vida de uma "diferente" e muda a vida dela e de sua família.
Dois casais que trocam de parceiros e terminam sendo amigos e arriscam chamar isso de família.
Uma garota de programa que teve algumas chances de ser feliz, mas sua vocação é pra ser isso mesmo!
Um muçulmano que se apaixona por uma judia e consegue vencer suas diferenças em nome do amor.
Enfim, rolou de tudo na novela Amor à Vida.
Porém, quero comentar sobre o personagem do excelente ator Mateus Solano, o Félix.
Como eu pude aprender com a ficção! Como sou hipócrita, julgador, intolerante, preconceituoso e por vezes boçal ao julgar pelas aparências as pessoas que parecem ser diferentes de mim.
Felix fez um pouco de tudo para ser uma péssima pessoa, e conseguiu.
Ele jogou a gurizinha no lixo, causou o acidente do Atílio, roubou o hospital, manipulou e chantageou geral para conseguir a presidência do San Magno, destruiu vidas e atrapalhou muita gente!
Contudo, que virada na vida do personagem esse Felix pode viver. Foi fantástica!
Félix conseguiu superar-se e vencer a si mesmo a despeito de tudo o que sofrera por si e pelos outros que lhe causaram traumas e dores.
Félix é um ser em extinção nos nossos dias. Poucos eu conheço que conseguiram se reinventar e vencer as armadilhas da vida com charme, bom humor e elegância. (As vezes ele descia do salto). Mas, ninguém é de ferro!
Félix soube perdoar seu pai, ajudá-lo na doença e amá-lo até o fim.
Sei que muitos, a maioria absoluta mesmo vai se deter somente no beijo gay que ele deu no "carneirinho".
Eu, porém, pulo essa parte e fico com o que aprendi sobre o ser humano e sua capacidade de voltar a ser gente.
A cena que findou a novela, com as mãos de Félix e César dadas frente ao mar e as declarações de amor feitas por ambos, pai e filho foram sem dúvida o ponto alto da trama.
Quero que a vida tenha a coragem de imitar também a arte e produza em nosso meio mais pessoas que aprendam a perdoar-se para poder perdoar os outros! Que ela imite a arte para que o ser humano seja mais importante que minhas convicções pessoais.
Quero que minha vida seja um amar de verdade! Amar mesmo. Amar sem reservas e de todo coração.
Quero levar a vida tendo a capacidade de rir mais do que chorar. Que eu faça piadas em que eu mesmo seja a piada. Só consegue ser piada quem sabe quem é e consegue ser feliz, mesmo em meio a tristeza.

Não digo que serei um Félix, pois somos bem diferentes, mas quero ter a capacidade do personagem Felix de ser pelo menos Feliz! 

Postagens mais visitadas deste blog

Casais evangélicos traem mais que os do mundo!

O FIM DO CASAMENTO HÉTERO.

A vida de extravagâncias da irmã Dulce