FILHO ENTERRA PAI VIVO E COMEMORA DIA DOS PAIS!

ELE PENSAVA ESTAR FAZENDO A COISA CERTA!
Esta semana nós iniciamos com a comemoração do dia dos pais. Muita gente postou fotos, mensagens, declarações e tudo o mais. Foi legal ver tanta gente feliz, amando e sendo amada publicamente! Acontece, que ao ler Epicuro hoje, eu pude perceber que, conforme ele mesmo afirma, a morte é uma quimera! Conheço muita gente que está esquecida enquanto vive. Estão mortos para quem os esqueceu! Por outro lado, vejo muita gente sendo lembrada depois de ter morrido, logo, estão vivos para que os lembrou. Isso tudo mostra o paradoxo no comportamento de tantas pessoas que aprenderam a capacidade de matar em vida e fazer viver depois de morto. Ao contrário das primeiras, lembranças de quem já "foi" fazem com que não haja morte, até para quem já morreu. A tristeza está na inversão de sentimentos e valores quando nos esquecemos dos vivos e queremos compensar na lembrança dos mortos. Mortos e vivos merecem o mesmo amor! O amor dado aos mortos é carregado de significado, de subjetividade e de forma abstração. Eu não posso mais abraçar, beijar e fazer-me ouvir à pessoa morta.
Por sua vez, o amor aos vivos deve ser praticado através de ações concretas. Deve ter objetividade e ser demostrado, e isso, de forma clara para quem for fruto deste amor o saiba, e sinta! Estamos vivendo tempos em que as redes sociais nos dessocializam e nos colocam em uma "bolha". Estamos passando mais tempo ao celular do que tendo vida social e familiar de verdade. Passamos mais tempo conversando com muitos e vivendo com poucos, quiçá com ninguém! Isso tem minado relacionamentos, falido casamentos, destruído a afetividade entre pais e filhos e por causa de tudo isso, lotado os consultórios de psicologia e psiquiatria. Dizem que o mal do século é a depressão e a síndrome do pânico! E é mesmo! O mal, o efeito podem ser, mas a causa em sua maioria é a individualização exacerbada do ser. Eu estou repensando minha vida e meus relacionamentos. Não levo mais celular para cama!
Estou refazendo meus hábitos e procurando não pegar em celular enquanto estiver ao lado de alguém que conversa comigo. Estou num processo de reumanização. Estou lutando para não matar quem está vivo ainda. Minha consideração aos que já se foram continua a mesma. Porém, que não seja eu o "assassino" daqueles que estão ao meu redor. Quero meus relacionamentos de volta. Quero o milagre da ressurreição aos que matei mesmo estando vivos. Quero que o espírito de cristão seja mais forte do que o fascínio pela tecnologia e o vício pelo celular. Quero voltar a viver no coração e na mente de quem me matou em vida. Sei que é uma tarefa difícil e para muitos quase impossível, mas estou firme neste propósito de reviver e ser revivido. Que Deus nos ajude na jornada. Pense nisso. Seja feliz e lembre-se: Família. Você precisa cuidar da sua!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

COMPRE AQUI O LIVRO O Próximo Passo.

A vida Secreta da Hortência