domingo, julho 5

O apagão das "curas" nos templos.

Eu sempre fui a favor dos evangélicos participarem das discussões mais diversas na sociedade.
Entretanto, diante da ineficácia da "igreja" junto à pandemia no que diz respeito às promessas feitas em nome de Deus em relação à cura, alguns líderes precisam vociferar e entrar em polêmicas para que o "brilho" não se apague.
Era hora, pelo menos a meu ver, de líderes religiosos se colocarem a frente do problema e sugerir soluções efetivas e práticas. Porém, o que se vê, são manifestações patéticas e o apagão nas curas prometidas.
Assistimos também as "vendas" de feijão milagroso ou as imagens de QR CODE para depósitos de ofertas e dízimos, nas telas da tv que veiculam os programas dos cultos enlatados que entretém alguns, enganam outros e arrecadam milhões de reais.
Como a religião se mostrou desnecessária nestes dias de COVID.
Saudades dos tempos em que os cultos eram simples, desprovidos de segundas e terceiras intenções, um momento de comunhão e oportunidades para reencontros com a fé e hora de apaziguar alma e coração.
Que os evangélicos despertem e lembram que igreja somos nós. O templo? É só uma construção como outra qualquer. Sacro tem que ser o coração! Isso basta.
#Borapensar

Destaque

Hoje teremos mais de 2000 SUICÍDIOS!

Este vídeo pode salvar uma vida! Clique aqui. Instagram Facebook Twitter